Junho, 2008

Hans Küng, O princípio de todas as coisas. Ciências naturais e religião, Petrópolis, Vozes 2007, pp. 288.
O livro abre uma discussão franca entre a nova visão do universo elaborada pela nova cosmologia e a visão bíblico-cristã sobre o começo e o fim de todas as coisas.

John F. Haught, Deus após Darwin. Uma teologia evolucionista, José Olypmpio Editora, Rio 2002, 262 pp.
Trata-se de um dialogo profundo com a tradição darwinista em dialogo com a teologia cristã, feita por um teólogo católico leigo de grande profundidade.

Francis S. Collins, A linguagem de Deus.  Um cientista apresenta evidências de que Ele existe., Editora Gente, São Paulo 2007, 279 pp.
O auor é o diretor do projeto Genoma Humano. Começou como ateu e na medida que avançava a pesquisa sobre o genoma humano se dava conta que a interpretação teista é mais sensata que a interpretação atéia, tipo Dawkins.

Joanna Macy e Molly Young Brown, Nossa vida como Gaia. Praticas para reconectar nossas vidas e nosso mundo, Editora Gaia, São Paulo 2004, 255 pp.
Uma excelente introdução pratica ao novo paradigma ecológico com forte caráter espiritual e com exercícios práticos para sentir a Terra como Gai e Grande Mãe.

James Lovelock, A vingança de Gaia. Editora Intrínseca, Rio de Janeiro 2006, 160 pp.
Trata-se do formulador da teoria Gaia, a Terra como um super-organismo vivo. Aborda as conseqüências catastróficass que virão sobre o planeta e sobre a humanidade se não assumirmos sabedoria e cuidado em nossa relação para com a natureza e o sistema da vida.

Evaristo Eduardo de Miranda, Quando o Amazonas corria para o Pacífico. Uma história desconhecida da Amazônia, Editora Vozes, Petrópolis  2007, 254 pp.
É um dos estudos mais completos sobre a Amazônia mostrando que ela era pervadida por culturas indígenas, verdadeiros impérios e que sabiam manejar ecologicamente a natureza e como hoje nos servem de inspiração.

Mike Davis, Planeta Favela, Editora Boitempo, São Paulo 2006, 270 pp.
É um dos estudos mais completos sobre o fenômeno da favelização do mundo que abarca quase metade da humanidade. O autor prevê não uma guerra de civilizações mas um conflito entre o mundo urbanizado e o mundo favelizado. A NASA já se prepara para uma eventual guerra.

Ramonet, Ignácio, Guerras do século XXI. Novos temores e novas ameaças, Editora Vozes, Petrópolis 2003, 192 pp.
O autor,  editor do Le Monde Diplomatique, estuda os novos cenários mundiais, os pontos de fratura entre os povos que estão provocando tensões e guerras com incidências sobre a situação ecológica da Terra.